terça-feira, 31 de julho de 2018

Férias Escolares Julho/2018

Como a correria está grande, mamãe trabalhando em casa com as meninas está bem corrido, vim trazer os registros das férias em fotos!

Atividade Artística da Gá as quartas: projeto Piá

Feira de RH que fui, Isabella já de férias foi junto



Tive que levar Isadora para a terapia da Gá

Aniversário do vovô, levamos o bolo

Foto com vovô paterno

Passou mal nesse dia... mesmo enjoada para vomitar fez sorriso para a foto...

Visita ao Zoo de Campinas

Oberservatório de Campinas. Fomos conhecer a casa da Namo do tio Israel

Parque de Campinas, Isadora estava dormindo


Saída com a Turma do Prédio para Playland




Muro novo da escola da Isadora


SESC belenzinho

Não deixando a mamãe trabalhar

Liquidação da Marisa... Isadora adora tirar fotos com manequins

Tia Anna veio passar 1 semana em casa

Comida chinesa

Parque de diversões


Em campinas... um parque que não lembro qual kkk andamos muito nesse dia

Sorvete na Sergil em Campinas... tinha opções sem leite, Isabella pirou

Cineminha em casa com a turma do prédio

Festa da colheita no salão

No shopping


Parque de diversões Cidade da criança




Comilona

Eu me divirto mais que as meninas... adoro parques!
Foi bem agitadas as férias!
Ainda fomos ao cinema 2x, comemos muita besteira...

E as aulas voltaram, e pude desenvolver mais meu trabalho, ufa!

sexta-feira, 6 de julho de 2018

Texto sobre modernidade das avós

Me enviaram este texto sobre como as avós mudaram nos últimos tempos.

Como sempre me imagino a frente do meu tempo, espero ser uma avó parceiraça!




      "Para todas as avós da nossa turma

      Quer dizer que o lobo mau conseguiu engolir nossa vovozinha? As que usavam touquinha e tinham voz rouca foram papadas, sim, meus pêsames. Mas olhe agora, o que vemos? Avós de jeans, dirigindo jipes, cabelo pintado, óculos escuros. Avós que trabalham, que viajam, que dão festas, que namoram. Avós que fazem lipo, aeróbica, jogam paddle (...) Será que elas sabem pregar um botão? Não custa tentar, mas se a empreitada der errado, não complique. Ela terá o maior prazer em levar a netinha para comprar uma roupa nova no shopping. E o almoço de domingo? Também mudou. As avós de hoje não andam dispostas a engordar nem um grama com macarronadas familiares e muito menos a quebrar suas garras vermelhas lavando panelas. Que tal um buffet frio, muita água mineral e salada de frutas?
      Netos e netas, não sintam-se desamparados. As avós de hoje são muito mais participantes. Podem não lembrar direito das histórias de Gulliver, Pele de Asno ou Gato de Botas, mas têm histórias pessoais tão encantadoras quanto. São mais divertidas e menos preconceituosas. Têm mais saúde e disposição para enfrentar parques, teatrinhos, zoológicos. E o fato de buscarem a eterna juventude não lhes tirou um pingo do afeto que sentem pela terceira geração. Ao contrário: nunca vi tantas avós apaixonadas por seus netos. É um amor enorme, desinteressado, sem o ônus do compromisso, só do prazer. 
      (...) Se por um lado estamos perdendo a imagem romântica da avó que cozinha, faz tricô e tem roseiras no quintal, por outro estamos ganhando uma avó bonitona, que tem o maior orgulho ao falar de nós para as amigas e que sempre estará disposta a nos dar um colo. Desde que esteja com uma roupa de microfibra, bem entendido.
      O amor, que é o que interessa, não mudou. Mas mudaram as avós (...) que falam gíria, bebem cerveja e estão sempre prontas para uma novidade; são avós tanto quanto as nossas saudosas velhinhas de casaquinho nos ombros. Passarão, como toda mulher, pela menopausa, pela osteosporose e por outros distúrbios da idade, mas, certamente, não aceitarão o papel de uma avó caseira, bordadeira e sem outra ambição que não seja cuidar dos netos. 
      Sempre se disse que a avó era uma “segunda mãe”, pois ela nunca esteve tão parecida com a primeira."

      Martha Medeiros

segunda-feira, 23 de abril de 2018

A coragem

Estamos próximos do aniversário de 7 anos da Gá, e ela nos pediu a alguns meses uma bicicleta. Adorei, achei ótimo, porque bike é uma otima brincadeira, exercício, é util para a vida! Espero que ela nunca deixe de pedalar!

Então fui lá eu buscar uma bike aro 20 usada (salve Olx). Achei uma caloi aro 20 da barbie por 150,00. Ela nova está por volta de 400,00.



Papai arrumou (óleo, pneus) e Isabella pôde passear com a bike nova neste último domingo (22/04). O pai queria que colocássemos as rodinhas na bike, e eu estava certa que ela conseguiria aprender sem as rodinhas mesmo, assim como aprendi na minha (aos 9 anos):

Não é a minha (não tenho fotos) mas era exatamemente assim, inclusive vermelha
Bom, assim descemos para a área aberta do condomínio e o pai ficou segurando a bike para ela pedalar... achei que aquilo não ia funcionar, porque ela não conseguia sentir o peso da bicicleta, para controlar. Então ensinei ela a sair com a bike sozinha, ela tentou por uns 40 minutos até conseguir sair por uns metros.

Gá é uma menina super sensível. Ela busca muito nossa aprovação, e precisa de estímulo e incentivo. Para mim, colocar rodinhas na bicicleta a faria acreditar que não consegue sem elas. Ia se apoiar muito nisso e demorar a aprender sem elas.
O pai achava que aprender de uma vez sem rodinhas poderia frustá-la e fazê-la desistir... a primeira queda e primeiro machucado ela poderia se zangar e não querer mais. 
Eu já pensei nisso como mais um motivo para ela aprender mesmo. Porque na vida teremos muitas quedas, e se arriscar faz parte. Medo é bom, mas enfrentar ele é ainda melhor.


Ela desanimou mesmo, é verdade. Ficou frustrada por ralar as pernas e não sair do lugar. Chorou, se desesperou... conversei muito, distraí ela para se acalmar e retomar, e ela então retomou, e conseguiu! 
Ela escutou que é muito medrosa, que não ia conseguir. Escutou que desiste fácil... escutou que deveria fazer assim ou assim... mas ela aprendeu mesmo quando deixou de dar ouvidos a isso e fez sozinha, ela mesma, escutando que era capaz.


Para mim não foi apenas andar na bicicleta que ela aprendeu...
Ela aprendeu que as dificuldades vêm, devemos respirar, se acalmar, e retomar. 
Aprendeu que é capaz, que consegue aquilo que quer.
Que a mamãe sempre estará lá na torcida, e que acredito muito nela.

Meu pai (Vovô da Gá) acreditou muito em mim, e eu sei o quanto isso foi importante para mim, para minha vida.
Só quero que ela experimente aquilo que eu pude experimentar. 

Foi delicioso ver tudo isso acontecendo e estar junto...



Minha Gá, prestes a completar seus 7 anos... 

sexta-feira, 13 de abril de 2018

Vá ser feliz! Seus filhos agradecem!

Vá ser feliz! Seus filhos agradecem!


Eu nunca vi filhos felizes com uma mãe infeliz! Simplesmente não dá! A mãe dita o clima, o humor, é o fio terra da casa. Tudo passa por ela.
Sabe quando o comissário de bordo diz para os adultos colocarem primeiro a máscara de oxigênio neles e depois nas crianças? É assim que vejo nosso papel de mãe. Isso quer dizer que precisamos nos salvar primeiro pra depois salvar nossos filhos. Eles não se salvam sozinhos. Essa é uma ótima analogia pra maternidade.
Num primeiro momento, pode soar um pouco de egoísmo colocarmos a máscara na gente primeiro, mas depois fica tão óbvio!
Por isso, se você quiser seus filhos felizes, fique feliz! Sacrifique um pouco eles por você. Não, não é egoísmo! É o melhor que você pode fazer pelos pequenos. É assim que eles vão ficar bem, tendo você bem!
Se para isso você precisa sair pra jantar com as amigas de vez enquando, fazer a sua academia e viajar uma semana só com o marido, então faça! Faça e sem culpa! O que adianta um final de semana a mais com eles e você triste, desmotivada e esgotada? Mãe exausta fica brava, impaciente e o tempo junto com os filhos fica nocivo e não saudável. Vá se recarregar e volte cheia de energia. Ainda terão muitos finais de semana pra você curtir seus filhotes pela frente.
Jogue essa culpa pra lá e vá ser feliz! Seus filhos agradecem!


Texto publicado hoje pela psicóloga Carol Kherlakia



O que tenho feito fora da maternidade, ou junto a ela...
Me inscrevi na ginástica do prédio. Minha mãe precisa de atividade, e não fazia sozinha. 2x por semana e as meninas vão junto

Saidinha pro cinema, fomos ver sozinhos pantera negra

Encontro de empreendedoras ZN. Preciso fortalecer e fechar parcerias para o meu negócio

Levando minha mãe à acupuntura/terapia alternativa, semanalmente

Home Office

Todo horário livre é trabalhando

Levei minha mãe para fazer Ultrassom, logo depois almoçamos

Andanças

Estudar, estudar, sempre. Minha área está mudando muito e preciso! Passando roupa e estudando, nessa hora peço a colaboração das meninas pelo silêncio, e elas vão brincar no quarto